Sperm Whale | Cachalote - Physeter macrocephalus


|ENG|


Scientific Name: Physeter macrocephalus (Linneaus, 1758)


Common Name (UK, FR, PT, ES, DE): Sperm whale. Cachalot. Cachalote. Cachalot. Pottwal


Short Species description: In the family of toothed whales, the Odontoceti, Sperm whales are the largest toothed animal on Earth. Robust body and distinctive big melon head due to the Spermaceti organ used for echolocation. Characteristic front-left oriented blow-hole. Adult females can reach 12.5 m and big males 19.2 and weigh up to 57,000 kg. Newborns are 3.5-4.5 m and 1,000 kg. Can live more than 75 years. Prey on deep species mainly of cephalopods in the Azores but also fish (Carwardine 1995, Jefferson et al. 2015). Easily identifiable through body marks and fluke shape and scars.


Population status: 360,000 individuals worldwide. Vulnerable. (Jefferson et al. 2015).


Occurrence in the Azores (including season): Resident, Seasonal and Transient groups can be seen in the Azores. Normally seen deep-diving between 800-1200m depth bathymetry around the islands. Can also be observed resting, socializing. Some births have been recorded. Some individuals breach (Jump outside the water) and spy-hop.


Habitat Use: Cosmopolitans from the tropics to the polar areas. Deep divers, tend to inhabit continental slopes, canyons or island slopes, and oceanic waters deeper than 1,000 m (Jefferson et al. 2015).


Pod Size: pod sizes between 6 to 50 individuals.


Typical Behavior: Matrilineal-based social structure where females are found in pods and males usually alone. Distinguished echolocation, very social inside their species. Deep and long divers: more than 2,000 m and 40'-90' long. They show the fluke (tail) when they dive. Can spy hope, breach, shallow dive, swim with the belly up and roll.


Conservation: The sperm whale was one of the most affected species in the whaling period, more than 1 million sperm whales were killed. Commercial hunting ended in 1986, however, Japan kept hunting sperm whales under a controversial permit of scientific purpose. In the Azores, the last sperm whale to be hunted was in 1987. Nowadays, the main threats that these animals face is the ingestion of marine debris, ship collisions and entanglement in fishing gear.



|PT|


Nome científico: Physeter macrocephalus (Linneaus, 1758)


Nome comum (UK, FR, PT, ES, DE): Sperm whale. Cachalot. Cachalote. Cachalot. Pottwal


Breve descrição da espécie: Pertence à subordem dos odontocetos, o cachalote é o maior animal do mundo com dentes. Corpo robusto, com melão proeminente devido ao orgão spermaceti, que tem um papel fundamental na ecolocalização. Uma característica única do cachalote é a localização do seu espiráculo, ao contrário das outras baleias e golfinhos, o seu espiráculo está orientado para o lado esquerdo. As fêmeas adultas podem chegar a 12.5m e os machos a 19.2m, pesando até 57,000 kg. Recém-nascidos têm entre 3.5-4.5m e 1 ton. Podem viver mais de 75 anos. As suas presas preferenciais são os cefalópodes (lulas, chocos, polvos) que se encontram a grandes profundidades (Carwardine 1995, Jefferson et al. 2015). São facilmente identificados através de marcas no corpo e do formato da cauda e marcas presentes na mesma.


Estado da população: 360,000 indivíduos, mundialmente. Vulnerável (Jefferson et al. 2015).


Ocorrência nos Azores: Nos Açores podem ser avistados grupos de cachalotes residentes, ou seja, encontram-se nos Açores durante todo o ano, grupos sazonais, em que os indivíduos apenas visitam os Açores numa determinada altura do ano, e grupos que se encontrem apenas de passagem. Normalmente são avistados a fazer mergulhos profundos em áreas onde a batimetria ronda os 800 a 1200m. Podem ser também observados outros tipos de comportamento, ex.: descanso, socialização. Nos Açores já foram registados alguns nascimentos. Por vezes é possível ver os cachalotes a saltarem e a fazerem spy-hop (quando sobem à superficíe na vertical e só colocam uma parte da cabeça de fora de água).


Habitat: É uma espécie cosmopolita, podendo ser encontrada tanto nos trópicos como nas zonas polares. Tendo em conta que são animais que mergulham a grandes profundidades, habitam zonas na plataforma continental, canhões submarinos e águas oceânicas com profunidades acima dos 1000 m (Jefferson et al. 2015).


Tamanho do grupo: Os grupos podem variar de tamanho, podem ter desde 6 a 50 indivíduos.


Comportamento característico: Estrutura social matrilinear, em que as fêmeas formam grupos e os machos tendem a ser mais solitários. São bastante sociáveis com indivíduos da mesma espécie. Nos seus mergulhos profundos podem alcançar os 2km e podem ter a duração de 40min a 2 horas. Quando mergulham profundo tendem sempre a monstrar a sua barbatana caudal. Podem fazer spy hope, saltar, megulhos pouco profundos e nadar com a barriga para cima.


Conservação: O cachalote foi uma das espécies mais afectadas no período de baleação, tendo sido mortos mais de 1 milhão de cachalotes. A caça comercial terminou em 1986, contudo o Japão continuou a caçar cachalotes sobre uma autorização controversa de investigação científica. Nos Açores o último cachalote a ser morto foi em 1987. Atualmente, as principais ameaças que estes animais enfrentam é a ingestão de plástico, colisão com embarcações e aprisionamento em redes de pesca ou redes fantasma (Carwardine, 2019).


Sperm whale tail, going to the deep | Barbatana caudal de um cachalote no fim do seu mergulho


In the image, on the right is possible the typical shape of the sperm whale blow, directed to the left side | À direita é possível ver o formato típico do sopro do cachalote, direcionado para a esquerda


In the image is possible to see the blowhole of the sperm whale, which is located on the left side | Na imagem é possível observar o espiráculo do cachalote, que está localizado na parte esquerda

Tail of a sperm whale, each tail its different working as their fingerprints | Barbatana caudal de um cachalote, cada cauda é diferente funcionando como a sua impressão digital


Sperm whale doing spy-hope | Cachalote a fazer spy-hope


References | Referências

Carwardine, M. (1995). Baleias Golfinhos e Botos; O guia com imagens de todos os cetáceos do mundo. London: Bertrand Editora.


Carwardine, M. (2019). Sperm whale. Handbook of Whales, Dolphins and Porpoises of the world. Princeton University Press, pp. 140-147, Bloomsbury Publishing.


Jefferson, T.A., Webber, M.A., Pitman, R.L. (2015). Marine Mammals of the World; A Comprehensive Guide of Their Identification. 2nd edition. London: El Sevier.


#naturalistpt #atlanticnaturalist #azoresnaturalist #azores #whalewatchingazores #birdwatching #dolphingwatching #dolphinazores #faialtour #faialwhalewatching #Pico #Picowhalewatching #azoren #acores #portugal #bluewhale #spermwhale #finwhale #baleenwhale #pilotwhale #beakedwhale #commondolphin #stripeddolphin #spotteddolphin #rissodolphin #bottlenose #portuguesemanowar #seaturtle #loggerheardseaturtle #biology #biologistguides #certifiednatureparkguides #besttour #jeeptour #islandtour #vantour #exclusivetours #privatetour #boattour #marine #wildlife #photography #conservation #scienceandtourism #conservationtour #whaleconservationazores #baleias #baleiasfaial #baleiaspico #baleiasacores #conservacao #turismoresponsavel #responsibletourism #responsiblewhalewatching #saveourplanet #ocean

Featured Posts
Posts Are Coming Soon
Stay tuned...
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

(+351) 968 327 633 - (+351) 916 746 917

 

CONTACT@NATURALIST.PT

  • Facebook
  • TripAdvisor
  • Instagram
  • Twitter

Full Licences for Research,   Nature Parks & Whale Watching

RNAT18/2016 & RRAAT16/2016

HELP BOOKING? CONTACT HERE